VERSÃO BETA

Financiamento Europeu

Designação do Projeto | Renovação da frota de autocarros com superior desempenho ambiental e energético
Código do projeto | POSEUR-01-1407-FC-000019
Objetivo principal |Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
Região de intervenção | Área Metropolitana de Lisboa
Entidade Beneficiária | Companhia Carris de Ferro de Lisboa, E.M., S.A.

Data de aprovação | 10-07-2017
Data de início | 01-07-2017
Data de conclusão | 30-06-2020
Custo total elegível | 23.691.750,00 EUR
Apoio financeiro da União Europeia | Fundo de Coesão - 18.585.998,31 EUR

Objetivos, atividades e resultados esperados | A operação tem como objetivo:
- Potenciar uma política de mobilidade integrada em termos de transportes, espaço público,
estacionamento e policiamento;
- Dotar a Área Metropolitana de Lisboa de um sistema de transportes públicos mais acessível, mais
fiável, mais confortável e mais sustentável;
- Promover a existência de mais passageiros no transporte público garantindo uma transferência
modal do transporte individual para o transporte público e modos ativos.

Para este efeito, a CARRIS pretende adquirir 180 novos autocarros movidos a fontes de energia mais eficientes e com superior desempenho ambiental e energético como o Gás Natural Comprimido
(GNC) e a energia elétrica.
Adicionalmente, investirá na construção e instalação dos respetivos meios de suporte à operacionalidade desta nova frota. Assim, irá implementar uma infraestrutura de abastecimento de GNC no Complexo de Miraflores, situado em Oeiras e uma infraestrutura de carregamento elétrico localizada em Lisboa.

Com a concretização desta operação, a CARRIS pretende atingir as seguintes metas:
- Redução das emissões globais poluentes da sua frota de veículos de serviço público;
- Redução de emissões de gases com efeito de estufa (GEE) pela renovação de 180 veículos da sua frota;
- Poupança de energia primária face à energia primária utilizada antes da realização da Operação pelos veículos a substituir pelos autocarros com propulsão 100% elétrica, bem como uma economia de energia.

Mercedes Benz Citaro NGT

Mercedes Benz Citaro NGT

 

MAN 18.310 HOCL-NL

MAN 18.310 HOCL-NL

Designação do Projeto | Instalação de módulos de eficiência energética e gestão de dados de condução
Código do projeto | POSEUR-01-1407-FC-000030
Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
Região de intervenção | Área Metropolitana de Lisboa
Entidade Beneficiária | Companhia Carris de Ferro de Lisboa, E.M., S.A.

Data de aprovação | 30-06-2018
Data de início | 01-12-2018
Data de conclusão | 30-06-2020
Custo total elegível | 248.988,00 EUR
Apoio financeiro da União Europeia | Fundo de Coesão – 99.595,20 EUR

Objetivos, atividades e resultados esperados | A operação tem como objetivo:
- Consolidar um padrão de consumo de energia mais sustentável através do investimento em eficiência e baixo carbono a todos os níveis, incluindo no domínio dos transportes;
- Promover para a disseminação de frotas eficientes, bem como a implementação dos planos de mobilidade e de medidas de racionalização de consumos nos transportes;
- Contribuir para as medidas de baixo carbono de âmbito local, nomeadamente o desenvolvimento de planos locais de baixo carbono, medidas de baixo carbono na reabilitação urbana e apoio a
equipamentos e infraestruturas de mobilidade sustentável numa vertente de melhoria da competitividade e dos serviços associados.

Para este efeito, a CARRIS pretende adquirir 100 novos módulos de eficiência energética e 195 consolas gráficas de motorista e proceder ao upgrade tecnológico de 95 módulos previamente instalados (uma vez que as soluções atuais não preveem qualquer iteração com os motoristas em tempo real).

Com a concretização desta operação, a CARRIS pretende atingir as seguintes metas:
- Poupança de energia primária face à energia primária utilizada antes da realização da operação pelos veículos onde serão instalados os sistemas, bem como uma economia de energia;
- Redução de emissões de gases com efeito de estufa (GEE).

Designação do Projeto | Renovação da frota de veículos de transporte público da CARRIS: Autocarros Limpos 2020
Código do projeto | POSEUR-01-1407-FC-000053
Objetivo principal | Apoiar a transição para uma economia com baixas emissões de carbono
Região de intervenção | Área Metropolitana de Lisboa
Entidade Beneficiária | Companhia Carris de Ferro de Lisboa, E.M., S.A.

Data de aprovação | 26-12-2018
Data de início | 01-06-2019
Data de conclusão | 30-06-2021
Custo total elegível | 4.294.285,71 EUR
Apoio financeiro da União Europeia | Fundo de Coesão – 3.063.102,86 EUR

Objetivos, atividades e resultados esperados | A operação tem como objetivo:
- Potenciar uma política de mobilidade integrada em termos de transportes, espaço público, estacionamento e policiamento;
- Dotar a Área Metropolitana de Lisboa de um sistema de transportes públicos mais acessível, mais fiável, mais confortável e mais sustentável;
- Promover a existência de mais passageiros no transporte público garantindo uma transferência modal do transporte individual para o transporte público e modos ativos.

Para este efeito, a CARRIS pretende adquirir 15 novos autocarros movidos a fontes de energia mais eficientes e com superior desempenho ambiental e energético como o Gás Natural Comprimido
(GNC) e a energia elétrica.
Adicionalmente, investirá na construção e instalação dos respetivos meios de suporte à operacionalidade da nova frota movida a GNC na Estação da Musgueira, situada em Lisboa, bem como na realização de ações de comunicação e de sensibilização do público-alvo.

Com a concretização desta operação, a CARRIS pretende atingir as seguintes metas:
- Redução das emissões globais poluentes da sua frota de veículos de serviço público;
- Redução de emissões de gases com efeito de estufa (GEE) pela renovação de 15 veículos da sua frota;
- Poupança de energia primária face à energia primária utilizada antes da realização da Operação pelos veículos a substituir pelos autocarros com propulsão 100% elétrica, bem como uma economia de energia.

Projetos de Inovação CARRIS

O projeto VoxPop, cofinanciado pelo European Regional Development Fund (ERDF), abordará as discrepâncias existentes entre os esforços que foram canalizados para melhorar o sistema de mobilidade e transportes e as expectativas e necessidades dos usuários da cidade de Lisboa. Focará uma série de desafios:
- A pouco eficiente utilização e subutilização de dados e informação que atualmente se encontram dispersos e isolados em diversos sistemas de diversos stakeholders.
- A interpretação distorcida das necessidades dos utilizadores do sistema de mobilidade e transportes;
- Soluções que atualmente não estão incorporadas na operação diária o que não permite o uso e implementação correta das mesmas;
- A incapacidade de gerir o espaço público de forma eficaz que, em certa medida, provocou pontos cegos na regulação;

O VoxPop visa transformar dados de diferentes stakeholders do sistema de mobilidade em informação útil e conhecimento através da criação de um ecossistema responsável e sustentável de partilha de dados públicos e privados destinado a:
- Possibilitar a criação de serviços de mobilidade centrados e desenvolvidos com o utilizador;
- Desbloquear métodos mais eficientes de planeamento, operação e manutenção de todos os ativos do sistema de mobilidade e transporte.
- Promover um uso mais significativo de dados (públicos e privados);
- Fomentar um maior número de decisões e prioridades baseadas em evidências concretas;

- Incentivar a criação de serviços de mobilidade desenvolvidos com e a pensar no utilizador;
- Tornar mais eficientes os processos e práticas dos vários stakeholders;
- Maior eficiência na gestão e controlo do uso do espaço público;
- Menor dependência de determinados provedores de serviços e maior interoperabilidade dos sistemas;
- Um maior controlo na utilização dos dados pessoais dos cidadãos.

Estrategicamente, o objetivo é aumentar a eficiência do sistema de mobilidade urbana, reforçando a eficácia dos serviços de mobilidade prestados.

No âmbito do projeto VoxPop a CARRIS desenvolverá, entre outras, uma ferramenta de recolha de feedback do cliente e um meio de auxílio e informação a passageiros com mobilidade reduzida no planeamento e gestão da sua viagem.

Parceiros: Câmara Municipal de Lisboa; EMEL; CARRIS; Metro de Lisboa; OTLIS; ARMIS; Beta-i; Deloitte Portugal
Orçamento da CARRIS no projeto: 710 150,00 €
Co-financiamento aprovado pelo Urban Innovative Actions: 568 120,00 €
Mais informação: https://www.uia-initiative.eu/en/uia-cities/lisbon 

O projeto C-STREETS, cofinanciado pelo programa europeu ‘CEF Transport’, é uma iniciativa conjunta de várias entidades com vista à realização de projetos-piloto de implementação de serviços C-ITS em diversas áreas urbanas, associadas à rede transeuropeia de transportes (TEN-T). O projeto C-STREETS apresenta-se como um projeto complementar de um outro projeto de C-ITS com forte implementação em Portugal – o C-ROADS – agora com um claro enfoque nas áreas urbanas.

Assumindo-se a CARRIS como um operador de transportes públicos de superfície na cidade de Lisboa os pilotos a desenvolver no âmbito do projeto C-STREETS são os seguintes:
• Teste de soluções de transporte a pedido
• Sistemas de prioritização semafórica para transportes públicos
• Sistemas de contagem de passageiros
• Digitalização das paragens de autocarros e elétricos
• Programas de fidelização de clientes para transportes públicos

No âmbito do projeto C-STREETS a CARRIS está a preparar o lançamento do seu primeiro serviço ‘on-demand’, sendo que pode obter mais informação no site específico deste piloto: http://xbus.carris.pt/ 

Parceiros: Instituto da Mobilidade e dos Transportes, I.P. (IMT, I.P.) (Coordenador);Área Metropolitana do Porto; Associação Porto Digital; Associação TRANSPORLIS - Associação para a Exploração e Gestão dos Serviços de Informação da Viagens Multimodais da Área Metropolitana de Lisboa; ARMIS – Sistemas de informação, Lda; BGI - Brisa Gestão de Infraestruturas; Brisa Concessão Rodoviária, SA (BCR); Câmara Municipal de Cascais; Câmara Municipal de Gondomar; Câmara Municipal de Lisboa; Câmara Municipal de Loulé; Câmara Municipal de Matosinhos; Câmara Municipal de Santo Tirso; Câmara Municipal de Valongo; Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia; Câmara Municipal de Viseu; Câmara Municipal do Porto; CEiiA - Centro de Engenharia e Desenvolvimento; Companhia Carris de Ferro de Lisboa, E.M., S.A.; EMEL – Empresa Pública Municipal de Estacionamento de Lisboa, E.E.M.; GMVIS Skysoft, S.A.; Infraestruturas de Portugal, I.P.; ISEL - Instituto Superior de Engenharia de Lisboa; Loulé Concelho Global, E.M.; MIH; Município da Trofa; Município de Lousada; Quadrilátero - Associação de Municípios de Fins Específicos Quadrilátero Urbano; Siemens Mobility, Unipessoal Lda; TISPT - Consultores em Transportes, Inovação e Sistemas S.A.; Via Verde Serviços (VVS);

Orçamento da CARRIS no projeto: 1 185 000,00 €
Co-financiamento aprovado pelo Mecanismo Interligar a Europa: 592 500,00 €
Mais informação:
https://www.c-roads.eu/pilots/core-members/portugal/Partner/project/show/c-roads-cooperative-streets.html 

O projeto TRIPS, cofinanciado pelo Horizonte 2020, ambiciona tornar o transporte público mais inclusivo e acessível para todos, tendo particular atenção às pessoas com mobilidade reduzida e/ou deficiência.
Focando nas barreiras com que atualmente estes utilizadores são confrontados na sua experiência de utilização do transporte público, o TRIPS centra-se na projeção, descrição e demonstração de uma metodologia de implementação de medidas que construam um sistema de transporte público urbano acessível a todos. O objetivo do TRIPS é ainda que essa metodologia capacite as pessoas com desafios de mobilidade a desempenhar um papel central no projeto de soluções de mobilidade digital inclusivas.
O consórcio reúne redes pan-europeias de utilizadores vulneráveis (ENIL), a principal organização representativa do transporte público (UITP), especialistas em tecnologia de assistência (AAATE) e municípios. O projeto conta ainda com a participação de especialistas em metodologias de design (TUE), integração de sistemas (TB) e privacidade (TRI).
Com base nessa experiência, o TRIPS fornecerá e implementará uma metodologia de Co-produção-para-todos em 7 cidades-piloto - Lisboa, Zagreb, Bolonha, Cagliari, Bruxelas, Sofia, Estocolmo.
O projeto irá constituir um grupo de trabalho em cada cidade que promove o diálogo direto entre os principais stakeholders dos setores dos transportes e mobilidade e os utilizadores vulneráveis, incluindo pessoas com diferentes tipos de deficiência. Serão conduzidas pesquisas sobre as necessidades e atitudes das futuras soluções de mobilidade; análise de tecnologias de acessibilidade, mobilidade e políticas digitais e criado um “índice de mobilidade” co-desenvolvendo um programa de inovação e prioridades de desenvolvimento.
O consórcio capitaliza no seu alcance internacional para validar os resultados com vários utilizadores vulneráveis à exclusão, garantindo que os resultados são relevantes para a população e o ecossistema de transporte em geral. A CARRIS servirá de veículo de teste e validação das metodologias e conclusões do projeto assim como na conceção de soluções de transporte digital que são desenvolvidas.

Parceiros: UITP, Eindhoven University of Technology, Association for the Advancement of Assistive Technology in Europe, Trilateral Research, SRM, CTMspa, CARRIS, ENIL, BRIDGE Management consulting, DLR.
Orçamento da CARRIS no projeto: 93.125 €
Co-financiamento aprovado pelo Horizonte 2020: 93.125 €
Mais informação: www.trips-project.eu 

O projeto MOBIL.T, cofinanciado pelo programa europeu ‘CEF Transport’, é um grande projeto da CARRIS e de outros operadores de transportes da Área Metropolitana de Lisboa (AML) que tem por ambição facilitar a utilização do telemóvel para efetuar viagens no sistema de transportes públicos. Assim, o projeto visa implementar um conjunto de ações e investimentos com o objetivo de harmonizar os diferentes sistemas de bilhética da Área Metropolitana de Lisboa (AML) num sistema digital único e inovador, promotor de uma Mobilidade sem limites.
Neste âmbito a CARRIS tem vindo a promover alterações dos seus sistemas de bilhética para permitirem a comunicação com telemóveis, designadamente uma atualização do seu sistema central de bilhética e a substituição de todos os equipamentos embarcados (validadores). Para além destas atividades a CARRIS está a desenvolver três projetos-piloto de teste de soluções de validação de viagens através do telemóvel, baseados em diferentes soluções de comunicação telemóvel-validador: NFC, BLE e QR-Code. Está ainda previsto o desenvolvimento de uma funcionalidade de pagamento de viagens na app da CARRIS.
No final, e considerando que se trata de um projeto colaborativo com vários operadores de transportes da cidade de Lisboa, com base nas alterações a introduzir no sistema de bilhética, será possível a qualquer operador de mobility-as-a-service incluir no portefólio das suas aplicações móveis os principais operadores de transportes públicos, incluindo operadores que tenham a sua operação centrada noutras cidades Europeias. O sistema terá a capacidade de aceitar sistemas de bilhética e de pagamento em utilização noutros países da União Europeia.

Parceiros: OTLIS – Operadores de Transporte da Região de Lisboa, ACE (coordenador), CP – Comboio de Portugal, EMEL, Fertagus, Metro de Lisboa, MTS – Metro Transportes do Sul, Rodoviário de Lisboa, Rodotejo, Scotturb, TCB – Transportes Coletivos do Barreiro, TST – Transportes Sul do Tejo.
(Site com logos e links: https://www.mobil-t.eu/partners.html )
Orçamento da CARRIS no projeto: 2 392 400,00 €
Co-financiamento aprovado pelo Mecanismo Interligar a Europa: 478 480,00 €
Mais informação: www.mobil-t.eu 

O projeto Shift-2-MaaS, cofinanciado pela União Europeia através do programa ‘Shift-2-Rail’ e do Horizonte 2020, visa testar a implementação de um conjunto de soluções tecnológicas de Mobility-as-a-service. Estas soluções tecnológicas são desenvolvidas por um conjunto de empresas associadas ao projeto COHESIVE, que se insere no âmbito do programa 4 de inovação do programa Shift-2-Rail (IP4).
Em resumo, o projeto Shift-2-MaaS reúne um conjunto de operadores de transporte público em três locais diferentes na Europa – duas cidades, Lisboa e Málaga, e um corredor na Áustria, República Checa e Alemanha – que se apresentam como primeiros ‘testes’ para uma aplicação de mobility-as-a-service. A aplicação está a ser desenvolvida noutros projetos financiados pelo programa Shift-2-Rail.
O projeto Shift-2-MaaS pretende testar funcionalidades como o planeamento de viagens, a validação dos bilhetes, o acompanhamento da viagem e ainda a plataforma de gestão de produtos multimodais pelos operadores.
A CARRIS assume o papel de coordenação do grupo de trabalho que conduz os testes em Lisboa.
O objetivo é testar um conjunto de casos de uso que combinam viagens de clientes com diferentes personas e que utilizam diferentes operadores e meios de transporte, alternando entre a utilização dos comboios da Fertagus, a rede da CARRIS e as bicicletas da Gira. A visão do IP4 do programa Shift-2-Rail é de que estas viagens possam ser planeadas e acompanhadas e os bilhetes adquiridos através de uma aplicação única no smartphone.
Assim, as tecnologias em desenvolvimento, e que serão testadas neste projeto, visam a possibilidade dos operadores criarem serviços partilhados de mobilidade e oferecer aos clientes uma experiência sem barreiras de circulação nas várias cidades.

Parceiros: UITP (coordenador), AETHON Engineering Consultants, Cefriel Politecnico de Milano, oltis group, University of Leeds, EMT Malaga, EMEL, IDS JMK, Rhein Main Service, Austria tech, Fertagus.
(Site com logos e links: http://shift2maas.eu/Page.aspx?CAT=PARTNERS&IdPage=9dfdc8a2-5d58-4487-a34f-10e1f8b3d0be )
Orçamento da CARRIS no projeto: 80 500,00 €
Co-financiamento aprovado pelo Shift-2-Rail: 80 500,00 €
Mais informação: http://shift2maas.eu/