História

Enviar este conteúdo

Os seus dados:
 
Destinatário(s):
Caso pretenda, junte também uma mensagem:

Sendo a CARRIS uma empresa de transporte público de passageiros centenária - fundada em 18 de setembro de 1872 - encontra-se intimamente ligada ao desenvolvimento da cidade de Lisboa tendo, ao longo do tempo, procurado proporcionar à população fixa e flutuante da cidade, uma adequada satisfação das suas necessidades de mobilidade.

A 17 de novembro de 1873 é inaugurada a primeira linha de "americanos" entre a Estação da linha Férrea Norte e Leste (Stª. Apolónia) e o então extremo Oeste do Aterro da Boa Vista (Santos).

Em 31 de agosto de 1901 tem início o serviço de Carros Elétricos.

Os anos que se seguiram ficaram assinalados pela total eletrificação da rede então existente, pelo aparecimento de novas carreiras e pelo crescimento da frota com carros inicialmente adquiridos nos Estados Unidos e, a partir de 1924, construídos nas oficinas da Empresa.

Em 1940, com o fim de reforçar o transporte de visitantes para a Exposição do Mundo Português, que se realizou em Belém, a CARRIS adquire os primeiros seis autocarros. Em 9 de abril de 1944 é oficialmente inaugurado o serviço de autocarros.

Nas últimas décadas, mercê das condições de circulação e das dificuldades da sua rentabilização económica e social, verificaram-se grandes transformações na frota de carros elétricos nomeadamente a gradual diminuição do número de viaturas, bem como das carreiras que serviam. Entretanto, foi-se reforçando, renovando e diversificando a frota de autocarros, adequando-a às exigências da procura e às particularidades dos percursos.

Após as décadas de 50 e 60, em que opções tomadas conduziram a cortes significativos na rede de elétricos, surgem nos anos seguintes novas perspetivas da sua reabilitação, que passam pela adoção de novas tecnologias (resultando em velocidades comerciais mais elevadas), pelo aumento da capacidade dos veículos e por melhores condições de circulaçäo (criação de "sítios próprios" e sinalização específica).

Sede da Carris em 1872

1872 - A Fundação

Em 18 de setembro de 1872 é fundada no Rio de Janeiro a Companhia Carris de Ferro de Lisboa. Dotou a cidade de Lisboa de uma rede de transportes públicos coletivos utilizando, na época, o chamado sistema americano: carruagens movidas por tração animal deslocando-se sobre carris.





imagem de um veículo a tracção animal

1873 - A Primeira Linha

Em 23 de janeiro, o escritor Luciano Cordeiro de Sousa e seu irmão Francisco Cordeiro de Sousa, diplomata, obtêm os direitos para a implantação na cidade de Lisboa, de um sistema de transporte do tipo americano denominado Viação CarrilVicinal e Urbana a Força Animal. Em 14 de fevereiro, a Câmara Municipal de Lisboa aprova o trespasse daquela concessão para a Empresa Companhia Carris de Ferro de Lisboa. Em 17 de novembro é inaugurada a primeira linha de "Americanos". O troço então aberto ao público estendia-se entre a Estação da Linha Férrea do Norte e Leste (Sta Apolónia) e o extremo Oeste do aterro da Boa Vista (Santos).


criação da Estação de Santo Amaro

1874 - Sucesso

O sucesso que lhe seguiu, conjuntamente com a expansão da rede, com os aumentos verificados na frota e com o número de animais de tração, desde logo conduziram à necessidade de obtenção de instalações permanentes, amplas, e devidamente apetrechadas, já que os terrenos até então utilizados para esse efeito não preenchiam todos os requisitos necessários. Em 1874, após longa pesquisa foi adquirida uma propriedade que, albergando o Asilo D. Luis I, fora já dos Condes da Ponte e onde foi possível a criação da Estação de Santo Amaro à qual, a breve trecho, se seguiria a do Arco Cego.


Imagem de um Americano, um veículo movido a tracção animal

1877 - Os Americanos

Embora tendo iniciado a sua atividade com carros movidos por tração animal - os "Americanos" -, desde muito cedo que a Companhia Carris considerou como merecedora de atenção a possibilidade da sua substituição por um qualquer outro sistema mais rentável e eficaz. Deste modo, logo em 1877, iniciou-se a recolha de informações sobre a utilização de locomotivas a vapor nos transportes públicos urbanos, a qual viria a culminar na realização de carreiras temporárias entre o Cais de Sodré e Algés.


Construção da fábrica de electricidade

1900 - Geradora

Outros estudos e experiências foram-se acumulando com o passar dos anos (em que se incluem o cabo de tração subterrâneo e os elétricos com acumuladores), até que, já nos finais do século, foi decidida a adoção de carros elétricos tendo a Carris obtido o privilégio exclusivo para o perímetro que explorava, do sistema denominado "Eletricidade por condutores elétricos com motor". Em 1900 tiveram início os trabalhos necessários à sua implantação com assentamento de novos carris, lançamento da rede aérea e construção de uma fábrica de eletricidade capaz de fornecer toda a energia necessária ao seu normal funcionamento; conhecida simplesmente por GERADORA estendia-se por uma área de 6.102 m2 e era composta pela Casa das Caldeiras, Casa das Máquinas, Casa das Baterias e Depósito de Carvão.


Primeira linha de carros eléctricos

1901 - Rapidez

Na madrugada do dia 31 de agosto de 1901 começou a funcionar a primeira linha de carros elétricos que se estendia do Cais do Sodré a Ribamar (Algés). Citando um jornal da época "a inauguração da tração elétrica satisfez completamente o público que, em grande número, concorreu a presenciar o importante melhoramento, a elegância luxuosa dos carros, a comodidade que oferecem aos passageiros e a rapidez da marcha".
Por volta de 1905 já toda a rede estava eletrificada tendo os "Americanos" desaparecido das ruas de Lisboa.


imagem de um eléctrico da Carris

1937 - Elétricos

Nos anos subsequentes Lisboa assistiu ao aparecimento de mais elétricos, adquiridos nos Estados Unidos ou construídos nas oficinas da empresa, ao alargamento da rede sendo de salientar a linha da Graça dado o seu percurso por muitos considerado impraticável e ao nascimento de mais uma Estação, a das Amoreiras, inaugurada em 1937 e destinada não só a servir a rede de elétricos, mas também a já prevista rede de autocarros que veio a ser inaugurada em 9 de abril de 1944.


primeiros autocarros da Carris

1958 - Autocarros

Com efeito pode dizer-se que a Companhia Carris, através da implantação de três carreiras, deu início a um serviço que, com o passar dos anos, viria a suplantar o de elétricos e afirmar-se como o mais importante meio de transporte da cidade de Lisboa na 2ª metade do séc.XX; foram elas: carreira nº 1, Cais do Sodré-Rotunda carreiras nº 2 e 3, P. do Comércio-M. Bombarda, alternadamente pelas ruas Rodrigo da Fonseca ou Duque de Loulé. Para apoiar este serviço surgiu, em 1958, a Estação de Cabo Ruivo.


Autocarros Carris dos anos 60

1960 - Alterações

Os anos sessenta trazem consigo profundas alterações ao panorama dos transportes públicos coletivos de superfície na cidade de Lisboa. A política assumida pela empresa de acabar a curto prazo com os elétricos substituíndo-os por autocarros, o recurso cada vez mais acentuado ao transporte individual e o aparecimento do Metropolitano contribuem decisivamente para o gradual desaparecimento dos elétricos de muitas zonas da cidade - Rossio, Benfica, Carnide, Lumiar - e para uma melhoria na rede de autocarros através da criação de novas carreiras e de alterações em outras já existentes.


Imagem de um autocarro laranja da Carris

1974 - Laranjas

Em 1974, verificada a necessidade urgente de rejuvenescer a frota de autocarros, foi aberto concurso para o fornecimento de 200 novas viaturas que, tendo começado a ser entregues no ano seguinte, mercê da cor que ostentavam, imediatamente foram apelidados de "laranjas".

Estação da Carris na Pontinha

1981 - Construção

A prevista desativação da Estação das Amoreiras, que se viria a verificar em 1981 a renovação e ampliação da frota de autocarros implicaram a construção de novas instalações estrategicamente localizadas.

Surgiram assim as Estações da Pontinha em 1975, da Musgueira em 1981 e o Complexo de Miraflores que teve no dia 19 de junho de 1983 o privilégio de receber a visita de Sua Excelência o Senhor Presidente da República naquela que foi a primeira visita realizada pelo mais alto magistrado da Nação a instalações da Companhia Carris.

eléctrico articulado da Carris

1990 - Renovação

Nos anos 90, para além da entrada ao serviço de novos autocarros (médios, articulados e "minis"), assistiu-se a um interesse renovado pelo modo elétrico traduzido na aquisição de 10 elétricos articulados, nos quais, à tecnologia de ponta e elevados níveis de conforto se alia uma grande capacidade de transporte e na renovação de 45 elétricos tradicionais que, numa feliz união, conjugam o respeito pela traça original com os mais modernos equipamentos eletromecânicos.


imagem dos novos autocarros Carris

2004 e 2005 – Renovação da frota

Conforme previsto no plano de renovação da frota de autocarros, no âmbito do processo de reestruturação foi iniciado em 2004. Neste a CARRIS procedeu à substituição de diversos autocarros de serviço público, nos seguintes termos:
- 2004 - 166 autocarros (sendo 40 autocarros mini, 106 autocarros standard e 20 autocarros movidos a gás natural)
- 2005 - 142 autocarros standard
Este processo permitiu reduzir a idade média da frota para cerca de 7,4 anos.
O processo de renovação da frota permitirá reduzir significativamente as emissões de gases poluentes, porque qualquer dos modelos adquiridos cumpre plenamente a Diretiva Comunitária sobre emissões de escape – Limite Euro 3, contribuindo, assim, a CARRIS para a melhoria da qualidade do ambiente em Lisboa. Para além disso, os novos autocarros possuem ar condicionado e introduzem uma série de inovações que terão grande impacte na segurança e no conforto, bem como na operacionalidade e na redução dos respetivos custos de manutenção.


Símbolo de certificação pela APCER

2006 – A Certificação

CARRIS, uma empresa certificada. A CARRIS obtem em janeiro deste ano a certificação do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ), concedida pela APCER – Associação Portuguesa de Certificação, de acordo com a Norma NP EN ISO 9001:2000. 

Foi também neste ano que a empresa iniciou a certificação de produtos, com o reconhecimento da APCER e do IQNET pela qualidade da sua organização interna, dos seus sistemas de trabalho e da sua gestão empresarial. Foi em fevereiro de 2006, através da norma NP EN 13816:2003, que o CERTIF validou a qualidade das carreiras: 15E, 56, 60 e 83. Ainda no decorrer de 2006 obtivémos a certificação de mais 18 carreiras: 5, 16, 17, 24, 37, 47, 48, 76, 81, 708, 718, 723, 726, 729, 738, 751, 755 e 759.

A CARRIS elaborou, pela primeira vez, em 2006, o seu Relatório de Sustentabilidade, relativo ao ano de 2005, dando assim cumprimento às disposições aplicáveis e expressando as diferentes áreas de intervenção, em termos económicos, sociais, culturais e ambientais, com repercussão positiva na sustentabilidade.

Este ano a CARRIS publicou o Código de Ética e de Conduta, o qual passou a ser tido como uma referência fundamental para o desempenho empresarial, para a prática professional dos nossos colaboradores e para o nosso relacionamento social, institucional e ambiental.

Na sequência de um convite formulado pela UITP – União Internacional de Transportes Públicos, o Presidente do Conselho de Administração da Carris, assinou, em 20 de outubro de 2006, em Bilbau, na primeira Conferência Internacional daquele organismo sobre sustentabilidade, a Carta de Compromisso de Desenvolvimento Sustentável.

Neste ano foram adquiridos 100 novos autocarros standard, que permitiram reduzir a idade média da frota para cerca de 6 anos.

Carta Europeia de Segurança Rodoviária

2007 - A Carta Europeia

CARRIS assina Carta Europeia de Segurança Rodoviária, uma carta de intenções, iniciativa da União Europeia, na qual os signatários se comprometem a implementer, de modo proativo e no mais curto espaço de tempo, as medidas necessárias para tornar a circulação nas estradas cada vez mais segura, pretendendo salvar 25.000 vidas nas estradas europeias até final de 2010.

Mais 18 carreiras em fase de certificação.

Está também em desenvolvimento a certificação do Sistema de Gestão Ambiental, de acordo com a norma NP EN ISO 14001:2004, que visa controlar e minimizar o impacte da atividade da Empresa sobre o meio ambiente, prevendo-se concluir os trabalhos para a candidatura de certificação, no decurso de 2007.

A CARRIS aderiu ao Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (BCSD Portugal). Deste Conselho, fazem parte mais de 80 empresas de primeira linha da economia nacional, tem a missão de transpor para o plano nacional os princípios orientadores do WBCSD – Conselho Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.


logotipo de certificação APCER

2008 - Ranking Responsabilidade Climática

A CARRIS ficou em 8º Lugar no ranking Responsabilidade Climática: Índice ACGE - Elaborado pela EURONATURA.

Em abril é obtida a certificação do sistema de gestão ambiental através das Norma - NP EN ISO 14001:2004.

No estudo do “Estado do País em Práticas Sustentáveis” organizada pela Heidrick & Struggles e o jornal Expresso em parceria com o banco BES a CARRIS obteve 89.3%no Barómetro da Sustentabilidade, muito acima da média nacional, que registou 64,08%.

No estudo de Satisfação do Cliente a CARRIS obteve 64,6%, o que significa que a maioria dos passageiros está satisfeita com o serviço prestado pela Empresa.

Em junho, na Feira Europeia de Mobilidade realizada em Paris – Um motorista da CARRIS obteve o 2º lugar no concurso Bus d’Or  de Melhor Motorista da Europa.

Em termos de renovação de frota, a Carris adquiriu neste ano 40 novos autocarros, sendo 20 médios e 20 articulados.


2009 - Processo de renovação da frota

Foram recebidos, após realização de concurso internaciona público, 60 novos autocarros standard sendo que 40 são Euro 5 a Diesel e 20 a Gás Natural EEV. 

Foram certificadas mais 12 carreiras, somando um total de 52 carreiras, o que representa mais de 50% do total da frota.

A CARRIS recebeu os seguintes prémios/nomeações:

  • Prémio de Desenvolvimento Sustentável na categoria melhor empresa/entidade pública;
  • Conquista do 1.º lugar no ranking “Responsabilidade Climática: Índice ACGE” no setor público;
  • Reconhecimento como a 21.ª Melhor Empresa para se trabalhar em Portugal, na categoria de Grandes Empresas no setor público;
  • Trofeu desenvolvimento sustentável atríbuido pela Câmara de Comércio e Industria Luso-Francesa;
  • Rótulo Europeu de Responsabilidade Social atribuído em Bruxelas pelo CEEP;
  • CARRIS lidera ranking Euronatura (75,7%);
CARRIS inicia abordagem webmarketing com lançamento do novo site da CARRIS e desenvolvimento de presença em redes sociais. É ainda neste ano que se dá início ao movimento “Menos um Carro”.

Andamos a pensar em si

2010 - Andamos a pensar em si

Lançamento de campanha de comunicação multimeios sob o claimAndamos a pensar em si”, presente em meios diversos como televisão, rádio, canal Lisboa, imprensa e web. 

3ª fase da Rede 7 concretizada.

Obtenção da certificação do Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho (SGSST) e da certificação de mais 12 carreiras (total 64 carreiras certificadas). 

A CARRIS foi ainda reconhecida pelos Clientes como uma Superbrand

Recebeu o prémio como das melhores empresas para trabalhar em Portugal (21ª posição no ranking), e como uma das empresas mais sustentáveis de Portugal (Prémio Cidadania das Empresas e Organizações) e de empresa familiarmente responsável (menção honrosa), atribuída pela Deloitte e pela AESE.

autocarro híbrido

2011 - Andamos a pensar em si

A CARRIS testou nas ruas da cidade de Lisboa, durante um mês, um autocarro híbrido de nova geração da Volvo 7700 Hybrid.

Lançou, em parceria com a EMEL, a EMPARQUE e o Metropolitano de Lisboa um novo título de transporte, o sistema «park&ride» recarregável, que permite usufruir de estacionamento e utilização dos transportes públicos.

Movimento menos um carro estreia novo site.

Presidente da CARRIS vence Best Leader Awards.

Recebeu pelo 5º ano consecutivo o prémio como das melhores empresas para trabalhar em Portugal (36ª posição no ranking). Ficou colocada no 1º lugar no setor dos transportes do Índice ACGE. Considerada a empresa mais eficiente, ao nível energético, segundo o Barómtero da Eficiência Energética. Eleita pelo 2ª ano consecutivo como Superbrand.

2012 - Uma viagem que nos une

O ano foi marcado pelo início do processo de integração operacional entre a CARRIS e o METROPOLITANO DE LISBOA, contribuindo para a melhoria da intermodalidade, para a qualidade do serviço prestado aos Clientes e, consequentemente, para a melhoria da qualidade de vida na cidade de Lisboa.

Foi, ainda, lançado um novo passe denominado “Navegante” que permite aos Clientes uma mobilidade plena em toda a cidade de Lisboa, integrando as redes da CARRIS, do Metro e dos percursos urbanos da CP, bem como o novo bilhete Viagem CARRIS/Metro que permite a realização de viagens nos dois operadores.

A CARRIS alcançou, neste ano, uma certificação inédita no setor e no país, é a primeira empresa portuguesa certificada em Responsabilidade Social pela Norma NP 4469, em alinhamento com as orientações da Norma ISO 26000.

Foi, ainda, considerada a melhor empresa ao nível da gestão de pessoas com o prémio APG Empresa, cedido pela Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas (APG), devido às práticas e projetos de excelência na área de desenvolvimento de Recursos Humanos e considerada a 37.ª melhor empresa para se trabalhar em Portugal, no ranking elaborado pela revista Exame e pela consultora Accenture.

Pelo terceiro ano consecutivo, a CARRIS ocupa o primeiro lugar, entre as empresas de transportes, no Índice ACGE (Alterações Climáticas e Gestão de Empresas), promovido pela Euronatura – Centro para o Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentado.

Este foi, também, um ano de investimento no desenvolvimento de aplicações gratuitas com o objetivo de fazer chegar informação a mais Clientes e torná-la disponível e acessível durante as 24 horas do dia. Neste contexto, a CARRIS lançou uma aplicação sapo transportes, a aplicação izi CARRIS e uma aplicação para Windows Phone 7.

2013

Na sequência do processo de integração operacional, que se encontra em curso, a CARRIS/METRO inaugurou este ano os primeiros “Espaço Cliente”, que, com uma identidade própria, conjugam uma imagem corporativa com referências visuais aos dois operadores.

A CARRIS/METRO associou-se a uma campanha internacional da UITP – União Internacional dos Transporte Públicos, que tem como grande objetivo contribuir para que a quota de mercado do transporte público alcance o dobro até 2025.